Visita guiada a Academia Brasileira de Letras

Acima Le Petit Trianon de Versailles e abaixo a sede da ABL no Rio de Janeiro.

Em 1923, o governo francês doou à Academia Brasileira de Letras um prédio, réplica do Petit Trianon de Versailles, construído no ano anterior para abrigar o pavilhão da França na Exposição Internacional localizado na antiga Avenida das Nações, hoje Av. Presidente Wilson, em comemoração do Centenário da Independência do Brasil, no Rio de Janeiro.

Primeira sede própria da Academia, o prédio funciona até os dias de hoje como local para as reuniões regulares dos Acadêmicos e para as Sessões Solenes comemorativas e de posse de novos membros da ABL. Mas também, como um espaço cultural aberto ao público, apesar de ser uma instituição privada.

Junto à entrada do Petit Trianon, há um jardim onde encontra-se um dos mais conhecidos símbolos da casa, a escultura em bronze de Machado de Assis, de autoria de Humberto Cozzo.

Hoje eu fiz a visitação e adorei. E vou contar para vocês aqui. A visita ao Petit Trianon é guiada por atores que vestidos a caráter conduzem os visitantes pelas salas, contando fatos da história da Academia e episódios curiosos da vida e obra dos acadêmicos.

O Saguão da Entrada

O lindo Saguão da entrada, possui piso em mármore, lustre de cristal francês e peças de porcelana de Sèvres (famosa fábrica de porcelana da França). Ele conduz ao Salão Nobre, ao Salão Francês e à Sala Francisco Alves. O andar térreo compreende, também, a Sala dos Poetas Românticos, a Sala Machado de Assis e a Sala dos Fundadores.

As Salas e Salões

A visita foi transcorrendo e os atores foram mostrando as salas, contando histórias, e declamando poemas famosos. Após o saguão, contemplamos o lindo Salão Francês.

Nos foi explicado que no Salão Francês, o Acadêmico eleito cumpre a tradição de permanecer sozinho, em momentos de reflexão, antes da cerimônia de posse. A seguir, Acadêmicos especialmente designados buscam o novo confrade e o introduzem no Salão Nobre, onde será empossado na Cadeira para a qual foi eleito.

Passamos então para a Sala dos Fundadores e a Sala Francisco Alves, onde são realizados os lançamentos de livros dos Acadêmicos, e abrigadas importantes obras de arte e peças decorativas do acervo da Academia.

Seguimos para a Sala Machado de Assis, onde destacam-se objetos pessoais do escritor, como: livros de sua biblioteca, a escrivaninha onde trabalhava, seus óculos e um  belo retrato a óleo de autoria de Henrique Bernardelli.

Chegamos então ao Salão Nobre. Além das posses, realizam-se neste salão as Sessões Solenes e Sessões Ordinárias comemorativas. Nas solenidades, à semelhança da Academia Francesa, os imortais brasileiros envergam o fardão, vestimenta verde escuro com folhas bordadas a ouro, que tem como complemento um  chapéu de veludo negro com plumas brancas e uma espada. As Acadêmicas, que passaram a integrar a Casa de Machado de Assis em 1977, usam um longo e reto vestido de crepe, na mesma tonalidade do fardão, também com folhas bordadas a ouro.

No lado oposto ao do Saguão, visitamos a Sala dos Poetas Românticos, onde após ouvirmos poemas recitados seguimos por um belo pátio que reverencia Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Castro Alves, Fagundes Varela e Gonçalves Dias, imortalizados em bustos de bronze. Este pequeno jardim foi modelado por Roberto Burle Marx, segundo placa indicativa no local.

Salão de Chá

Através de uma escada externa, chegamos ao segundo andar onde vimos o Salão de Chá onde se reúnem os Acadêmicos, às quintas-feiras para o famoso chá das cinco. Em seguida, passamos para a Sala de Sessões. Ao adentrar nos deparamos com uma grande reprodução dos Estatutos da Academia de 1897, assinado por Machado de Assis, Joaquim Nabuco e membros da primeira Diretoria, afixado na parede ao fundo da sala. Esta sala possui dois painéis laterais com retratos à direita dos fundadores e à esquerda dos patronos das 40 Cadeiras da ABL.

No segundo andar também está localizado a valiosa Biblioteca Acadêmica Lúcio de Mendonça. Esta linda biblioteca, abriga obras raras e está acessível ao público em geral. Depois seguimos para o anexo e visitamos a exposição Machado de Assis.

Exposição sobre Machado de Assis no prédio anexo

A nossa visita a Academia Brasileira de Letras será dia 18/11/19, no tour “O Rio de Janeiro Letrado” que inclui também visita guiada a Biblioteca Nacional. Faça já a sua reserva!

Para quem quiser conhecer por conta própria, segue abaixo o contato.

INFORMAÇÕES:

O agendamento da visita é obrigatório. As visitas ocorrem às segundas, terças e quartas-feiras – das 14h às 15h – Entrada franca – tel: 3974-2526 / E-mail: visita.guiada@academia.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *