O Rio na Linha do Tempo

História do Rio de Janeiro através dos eventos

Uma viagem pelos principais eventos que marcaram a cidade

A cidade do Rio de Janeiro sofreu grandes mudanças urbanísticas conforme foi sendo palco de importantes eventos históricos ou culturais. A cidade vaidosa sempre se embelezou mais, para mostrar-se  ao mundo.

Quando da vinda da família real precisou adaptar-se as pressas e  transformar-se na capital do Império  ultramarino Português.

Após a Proclamação da República, no início do séc. XX, precisava mostrar-se uma cidade moderna, iluminada e que domava o seu relevo. Deixando para trás a estigma de cidade pantanosa, virulenta e pestilenta.

 Alguns exemplos de transformação:

  • Exposição Nacional Comemorativa do 1º Centenário da Abertura dos Portos do Brasil , deu origem ao aterro que formou o bairro da Urca.
  • visita do rei Alberto I da Bélgica e sua esposa Elizabeth ao Brasil, em outubro de 1920, foi a primeira realizada por uma monarca europeu à América do Sul e teve a inauguração da Avenida Niemeyer.
  • Copa do Mundo de 50,  neste ano foi construído o Estádio do Maracanã,  e alterações do seu redor.
  • O Congresso Eucarístico Internacional  em 1955 deu início ao aterro próxima ao aeroporto Santos Dumont, área esta que após ter mais áreas acrescentadas viria a ser o Aterro ou Parque do Flamengo.

A seguir, vamos ver  os principais eventos que marcaram a história da cidade do Rio de Janeiro entre 1500 e 2016.

Brasil Pré – Colonial

1500

Séc. XVI

No início do século XVI, o litoral do que hoje é o Rio de Janeiro era ocupado pelos Tupinambás, indígenas do tronco tupi-guarani. Moravam em malocas, habitações familiares coletivas com até centenas de moradores e dezenas de metros de extensão.

Os tupinambás eram antropófagos (consumiam a carne de seus inimigos). Por volta de 1500, estavam em expansão: acredita-se que havia cerca de oitenta aldeias.

1500

1502

1502

Descoberta da Guanabara

O navegador florentino Américo Vespúcio, o capitão Gonçalo Coelho e sua tripulação foram os primeiros europeus a chegar à entrada da Baía de Guanabara, em 1º de janeiro de 1502.

Essa expedição exploratória portuguesa contribuiu para defender a tese de Vespúcio de que aquele era um mundus novus, e não a Índia, como afirmava Cristóvão Colombo.

O nome Rio de Janeyro apareceu pela primeira vez no mapa Terra Brasilis, de Lopo Homem, em 1519.

Ainda não há consenso entre os historiadores, mas uma hipótese é que o termo “Rio” tenha sido dado à região devido a um engano: a entrada da Baía de Guanabara teria sido confundida com a foz de um grande rio; mas alguns mapas da época tratam baías como rio; já o “de janeiro” diz respeito ao mês da chegada dos europeus.

“Guanabara” é um nome de origem tupi e pode significar “mar enseada” ou “mar de seio”, por causa de seu formato.

1502

Brasil Colonial

1555

1555

Sob o comando de Nicolau Durand de Villegagnon, os franceses invadem o Rio de Janeiro em 10 de novembro com o objetivo de estabelecer uma colônia: a França Antártica.

1555

1565

1565

O capitão Estácio de Sá estabelece em 20 de janeiro a vila fortificada de São Sebastião do Rio de Janeiro, entre os Morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, um simples acampamento militar para combater os franceses.

1565

1565

1565

Fundação da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro em 1º de março de 1565.

1565

1599

1599

Holandeses sob o comando de Olivier Van Noort, tentam desembarcar no Rio de Janeiro.

1599

1609

1609

No princípio do século XVII, uma tempestade quase teria feito naufragar um navio chamado “Candelária”, no qual viajavam os portugueses Antônio Martins Palma e Leonor Gonçalves. O casal teria feito a promessa de edificar uma ermida dedicada a Nossa Senhora da Candelária se escapassem com vida.

A nau, finalmente, teria aportado no Rio de Janeiro e o casal teria mandado construir uma pequena ermida no local da atual Igreja da Candelária em 1609, posteriormente ampliada pela Irmandade do Santíssimo Sacramento para se tornar uma igreja paroquial.

O Jornada da Nau “Candelária” foi retratada no Teto da Atual Igreja da Candelária pelo pintor Zeferino da Costa em 1877.

1609

1647

1647

Expansão da Cidade

Com o aumento da sensação de segurança pelo fim da resistência indígena e o aumento da população, a cidade se deslocou do alto do morro para baixo. A Rua Direita, atual Primeiro de Março, ganhou importância.

O rio Carioca ainda era a principal fonte de água. A cidade era dominada por lagoas e pântanos, que eram sucessivamente aterrados.

Novas paróquias (os bairros de antigamente) foram criadas. Em 1647, havia quatro: Castelo, Candelária, Irajá e Meriti.

1647

1710-1711

1710 -1711

Ataques ao Rio de Janeiro pelos corsários franceses Jean François Duclerce e René Duguay-Trouin, respectivamente.  A cidade foi sequestrada pelos franceses.

1710-1711

1733-1763

1733 -1763

Conde de Bobadela

Considerado por muitos como o melhor governador do período colonial, Gomes Freire de Andrade, o Conde de Bobadela governou a cidade de 1733 a 1763. Um dos marcos de sua gestão foi a reconstrução do aqueduto da Carioca, hoje conhecido como Arcos da Lapa. Outras de suas obras marcantes foram a Praça do Carmo, atual Praça XV de Novembro, e a Casa dos Governadores, conhecida como Paço Imperial.

1733-1763

1763

1763

Transferência da capital de Salvador para o Rio de Janeiro, reflexo do ciclo do ouro e dos conflitos na região do Rio do Prata. Uma obra marcante do período foi o aterramento da Lagoa do Boqueirão da Ajuda e a inauguração do Passeio Público nesse local em 1783.

1763

1770

1770

O desembargador João Alberto de Castelo Branco traz o café para o Rio de Janeiro. As primeiras roças são feitas no pomar dos frades barbonos, na atual Rua Evaristo da Veiga, e na região do atual bairro do Estácio.

1770

1779-1790

1779 -1790

Primeiro embelezamento da cidade sob a administração do vice-rei D. Luis de Vasconcelos e Souza, com a colaboração do Mestre Valentim de Fonseca e Silva.

É inaugurado o primeiro parque público das Américas o Passeio Público projetado por Mestre Valentim em estilo francês, ostentando elementos decorativos também criados pelo artista, como chafarizes, estatuas e pavilhões. O belo portão de acesso, em ferro forjado em estilo rococó, ainda está em seu lugar, destacando-se o brasão com as armas reais e as efígies de Maria I de Portugal e seu marido , Pedro III de Portugal.

1779-1790

1790

1790

Em 1790 um incêndio que começou numa loja próxima a rua Direita (atual rua Primeiro de Março) se alastrou e destruiu a maior parte das casas dos Telles de Menezes, restando apenas a parte que hoje constitui o Arco do Telles.

1790

1792

1792

Enforcamento de Tiradentes perto da Praça Tiradentes, no Rio de Janeiro, 21 de abril de 1792, foi  o personagem símbolo da conspiração denominada Inconfidência Mineira, é patrono cívico do Brasil, além de patrono das Polícias Militares e Polícias Civis dos Estados.

1792

1808

1808

A chegada da Família Real – Em virtude das guerras napoleônicas na Europa, a família real transfere-se de Portugal para o Brasil. Decretada a abertura dos portos; revogado a proibição de manufaturas; fundação do Banco do Brasil; criação da Imprensa Régia. A vinda da família real portuguesa para o Brasil ocorreu em 28 de novembro de 1807 e a comitiva aportou no Brasil em 22 de janeiro de 1808.

1808

1808

1808

Criação do Horto Real em 13 de junho de 1808, para adaptar especiarias indianas como cravo e canela e chá da china; construída a primeira fábrica de pólvora. O Horto seria o futuro Jardim Botânico do Rio de Janeiro em 1890 .

1808

1815

1815

Elevação do Brasil à categoria de Reino Unido a Portugal e Algarve.

Para aumentar seu poder de negociação junto ao Congresso de Viena, que reuniu os vencedores da guerra contra a França, Dom João decretou a união do Brasil a Portugal e território de Algarve (região do sul de Portugal). Era o fim do período colonial.

Muitas mudanças já haviam sido implementadas para manter funcionando a estrutura administrativa, sendo a de maior impacto a abertura dos portos às nações amigas.

Outras novidades foram o fim da proibição de manufaturas e a abertura das primeiras escolas de medicina, tipografias e jornais.

Criado o primeiro Banco do Brasil (falido em 1829); o Museu Real e a Biblioteca Real (hoje, respectivamente, Museu Nacional e Biblioteca Nacional).

1815

1816

1816

Como parte do projeto de modernização da cidade, chega ao Rio de Janeiro um grupo de artistas franceses com esta missão e também a de ensinar artes plásticas na cidade. Seus principais membros eram o arquiteto Grandjean de Montigny e os pintores Jean-Baptiste Debret e Nicolas de Taunay.

O grupo ficou conhecido como Missão Artística Francesa.

1816

1817

1817

Casamento de D. Pedro I e D. LeopoldinaPedro de Alcântara casou-se com Leopoldina da Áustria em 13 de maio de 1817. Foi somente quase seis meses depois que Leopoldina e  D. Pedro  conheceram-se pessoalmente.

Pintura retrata a chegada de Leopoldina ao Brasil, onde desembarcou em 5 de novembro de 1817.

1817

1817

1817

Missão Artística Austríaca

Acompanhando a arquiduquesa Leopoldina, desembarcou na cidade a Missão Artística e Científica Austríaca, visando explorar as riquezas naturais do país. Entre seus membros, estava o aquarelista Thomas Ender, que pintou mais de setecentas aquarelas sobre a paisagem rural e urbana do Rio e de São Paulo.

Em 1820, foi fundada a Academia de Belas-Artes.

1817

1818

1818

Coroação de D. João VI – Em 6 de fevereiro de 1818, D. João VI foi aclamado rei do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve.  Embora governasse como rei desde 20 de março de 1816 quando faleceu sua mãe, a rainha D. Maria I, a Louca, a aclamação só aconteceu quase dois anos depois, na Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé.

1818

1821

1821

Retorno de D. João VI a Portugal – Após inúmeras dúvidas e hesitações, pressionado, desejando preservar o regime, a sua dinastia e a manutenção da união dos reinos europeus e americano, D. João VI (1767-1826) regressou a Portugal no dia 26 de abril de 1821.

1821

Brasil Império

1822

1822

Aclamação de D. Pedro I  no dia 12 de outubro de 1822, no Campo de Santana, região central da cidade do Rio de Janeiro, grande parte da população receberia D. Pedro I (1798-1834).

(O Grito da Independência foi em 7 de setembro as margens do Ipiranga em São Paulo, por isto não teve destaque aqui.)

1822

1822

1822

Coroação de D. Pedro I depois de ser aclamado, conforme a tradição em Portugal, o príncipe, em cerimônia envolvida em pompa e circunstância absolutista, foi sagrado e coroado, no dia 1º de dezembro de 1822, como D. Pedro I na Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé.

1822

1824

1824

A primeira Constituição Brasileira é outorgada em 25 de março de 1824 no Rio de Janeiro, capital do Império.

1824

1826

1826

Falecimento de D. Leopoldina – A imperatriz Maria Leopoldina morreu no Palácio de São Cristóvão, na Quinta da Boa Vista, bairro de São Cristóvão, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro, em 11 de dezembro de 1826.

1826

1829

1829

Casamento de D. Pedro I com D. Amélia – a convenção matrimonial foi assinada na Inglaterra em 30 de maio de 1829, ratificada em 30 de junho em Munique, pela mãe e tutora da noiva, a Duquesa de Leuchtenberg. Em 30 de julho daquele ano, foi confirmado, no Brasil, o tratado do casamento de Sua Majestade com D. Amélia.

1829

1831

1831

Abdicação – Na madrugada de 7 de abril de 1831, D. Pedro I abdicou em nome de seu filho D. Pedro de Alcântara (1825-1891), que tinha à época apenas 5 anos de idade. 

1831

1832

1832

Visita de Charles Darwin ao Brasil passando pelo Rio de Janeiro – chegada em 4 de abril  de 1832 e partida em julho  de 1832.

1832

1834

1834

D. Pedro I do Brasil e IV de Portugal morre no Palácio de Queluz em Portugal. Durante a guerra ele ficou doente e, em 24 de setembro de 1834, acabou falecendo por conta de uma tuberculose. Seu coração foi colocado na Igreja da Lapa na cidade do Porto a seu pedido enquanto seu corpo foi sepultado no Panteão da Dinastia de Bragança na Igreja São Vicente de Fora em Lisboa.

1834

1841

1841

Aclamação, Sagração e Coroação de D. Pedro II em 18 de julho, Imperador do Brasil o seu defensor perpétuo na Capela Imperial ou Igreja Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé.

1841

1843

1843

Casamento de D. Pedro II e D. Teresa Cristina– No dia 4 de setembro de 1843 ocorria, no Rio de Janeiro, a celebração nupcial do casamento entre Pedro II e a princesa Teresa Cristina Maria de Bourbon, cuja mão fora oferecida pelo governo do Reino das Duas Sicílias na Capela Real ou Igreja Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé.

1843

1850

1850

Primeira grande epidemia de Febre Amarela no Rio de Janeiro. Segundo estimativas, atingiu 90.658 dos 166 mil habitantes do Rio de Janeiro, causando 4.160 mortes, de acordo com os dados oficiais, ou até 15 mil vítimas, segundo a contabilidade oficiosa. 

1850

1858

1858

Inauguração da Estrada de Ferro Dom Pedro II

Nomeada em homenagem ao imperador. Inicialmente, ela ligava as freguesias de Santana a Queimados, ambas hoje em Nova Iguaçu.  Em seguida, foram inauguradas novas estações nas zonas rurais de Cascadura e Engenho Novo, São Cristóvão, Sapopemba (atual Deodoro) e São Francisco Xavier.

1858

1859

1859

Primeiras linhas de bonde

De 1859 a 1866, funcionou no Rio a primeira linha de bonde com tração animal, que ligava a atual Praça Tiradentes ao alto da Tijuca.

Em 1868, a Botanic Garden Railroad inaugurou uma linha que ligava a Rua Gonçalves Dias ao largo do Machado. Este serviço foi logo expandido para a Gávea e as Laranjeiras.

Novas companhias de bondes surgiram. Elas foram, para o desenvolvimento das áreas nobres da cidade, o que o trem foi para o subúrbio.

Os primeiros bondes elétricos surgiram em 1892, ligando o Centro ao Largo do Machado.

1859

1861

1861

Floresta da Tijuca

Em 1861, as florestas da Tijuca e das Paineiras estavam devastadas pela exploração madeireira e pelas plantações de café, causando o esgotamento das fontes de água que abasteciam a cidade. Em uma atitude pioneira, Dom Pedro II as declarou Florestas Protetoras, desapropriando fazendas e incumbindo o major Manoel Gomes Archer de reflorestar a região.

Ao longo de treze anos, com a ajuda de poucos escravos, foram plantadas mais de 100 mil árvores. Esta foi uma das primeiras áreas de preservação do mundo.

Em seguida, a área recebeu tratamento paisagístico, com projeto do francês Auguste Glaziou.

Em 1961, a floresta foi declarada Parque Nacional.

1861

1864-1870

1864 -1870

Guerra do Paraguai – Templo da Vitória  inaugurado no dia 10 de julho de 1870, construído  no Campo de Santana em homenagem a vitória do Brasil na Guerra do Paraguai, o templo foi destruído na república para ofuscar e apagar as glórias do Império.

1864-1870

1888

1888

Em janeiro de 1888 é inaugurado o primeiro Zoológico do Brasil no Rio de Janeiro por João Batista Viana Drummond (o Barão de Drummond), no bairro de Vila Isabel, zona norte da cidade do Rio de Janeiro. É aqui que em 1889 surge o “Jogo do Bicho”.

1888

1888

1888

Assinada a Lei Áurea em 13 de maio pela Princesa Isabel, o palco foi o Paço Imperial na atual Praça XV.

Calcula-se que, no total, chegaram ao Rio de Janeiro cerca de 1 milhão de africanos cativos, e que número igual pode ter morrido ainda na África ou durante as travessias.

A Inglaterra pressionava o Brasil pelo fim do tráfico. Em 1831, foi determinada a proibição da entrada de novos escravos no país, o que aumentou o tráfico ilegal: os cativos eram desembarcados em praias distantes, como a de São Conrado e Guaratiba.

O comércio de escravos no Rio concentrava-se na região do Valongo, transferido da Rua Direita, em 1752.

Escravos fugidos estabeleciam-se em quilombos ao redor da cidade, como nos morros de Santa Teresa e ao redor da Lagoa.

1888

1889

1889

Baile na Ilha Fiscal – também conhecido como O Último Baile do Império, ocorreu no dia 9 de novembro de 1889, um sábado, em homenagem aos oficiais do navio chileno “Almirante Cochrane”. Realizado na ilha Fiscal, no centro histórico do Rio de Janeiro, então capital do Império.

1889

1889

1889

Proclamação da República – ocorrido em 15 de novembro. A proclamação ocorreu na Praça da Aclamação (atual Praça da República) quando um grupo de militares do exército brasileiro, liderados pelo Marechal Manuel Deodoro da Fonseca, destituiu o imperador e assumiu o poder no país, instituindo um governo provisório republicano, que se tornaria a Primeira República Brasileira.

1889

1889

1889

Em 28 de dezembro de 1889, morre a  Imperatriz Teresa Cristina na cidade do Porto, três semanas após a sua chegada à Europa. Os eventos de 15 de novembro de 1889 causaram-lhe um impacto tanto emocional quanto físico. Com 66 anos de idade e sofrendo de asma cardíaca e artrite. A família imperial recebeu a 24 de dezembro a notícia oficial que haviam sido banidos para sempre do Brasil. O corpo de Teresa Cristina foi levado até a Igreja de São Vicente de Fora, perto de Lisboa e foi sepultado no Panteão dos Braganças.

1889

1891

1891

Morre em Paris de pneumonia Pedro II às 00:35 da manhã do dia 5 de dezembro de 1891. Enquanto preparavam seu corpo, um pacote lacrado foi encontrado no quarto com uma mensagem escrita pelo próprio imperador: “É terra de meu país; desejo que seja posta no meu caixão, se eu morrer fora de minha pátria“. O pacote que continha terra de todas as províncias brasileiras foi colocado dentro do caixão. O corpo de Pedro II foi depositado no Panteão dos Braganças em 12 de dezembro..

1891

Brasil República

1902 a 1906

1902 a 1906

Reforma Pereira Passos: foi um período de grandes transformações urbanísticas na cidade. A reforma tinha como objetivo modernizar a cidade, acabar com os cortiços, alargar as ruas e estabelecer a higienização local, com saneamento básico e recolhimento de lixo. Entre as principais heranças desta gestão estão: a Av. Central (hoje Av. Rio Branco), a Av. Presidente Vargas, o Theatro Municipal, o Museu Nacional de Belas Artes, a Biblioteca Nacional e o Castelo Mourisco da Fiocruz.

1902 a 1906

1904

1904

Revolta da Vacina

A população carioca mais pobre estava sendo removida das áreas centrais e transferindo-se para favelas e subúrbios. Em 1904, com a aprovação da lei proposta pelo sanitarista Oswaldo Cruz, iniciou-se a vacinação obrigatória contra a varíola.

Com o apoio da polícia, as brigadas sanitárias invadiam casas e vacinavam à força a população, causando revolta.

O desconhecimento dos efeitos e o medo dos riscos da vacinação contribuíram para criar um estado de revolta que, apoiado pela oposição política ao governo, culminou com a maior revolta popular até hoje na história da cidade, em 10 de novembro. Lojas foram saqueadas, bondes incendiados, houve barricadas nas ruas e ataques à polícia. Seis dias depois, foi decretado o estado de sítio. A revolta foi contida e a vacinação, retomada. 

1904

1908

1908

Exposição Nacional Comemorativa do 1º Centenário da Abertura dos Portos do Brasil, realizou-se no bairro da Urca, para a qual foram construídos vários edifícios temporários. A maioria desses edifícios foi derrubada após o término da exposição. Uma exceção foi o prédio do Pavilhão dos Estados, que é atualmente ocupado pelo Museu de Ciências da Terra.

1908

1908

1908

Inaugurado o Mercado Municipal da Praça XV. O mercado foi fabricado na França, e a sua estrutura era toda de ferro pré-moldado, marcada pelas estruturas metálicas muito comuns em mercados e grandes projetos que predominavam no início do século XX. Os mais de 200 boxes no espaço interno vendiam mercadorias nacionais e importadas. O mercado não fechava. O mercado foi demolido na segunda metade dos anos 50 por causa da construção do Elevado da Perimetral. Ele foi substituído pela CADEG. Curiosidade: No único torreão que sobrou (o de número 4), funcionou de 1933 a 2016 o restaurante Albamar (atual Ancoramar).

1908

1912

1912

Inauguração oficial do primeiro trecho (Praia Vermelho- Morro da Urca) da Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar em 27 de outubro. Um símbolo da modernização da cidade.

1912

1913

1913

Inaugurada a segunda parte do Caminho Aéreo Pão de Açúcar ligando o Morro da Urca até o Pão de Açúcar em 18 de janeiro. Foi apelidado na época de bondinho pelas pessoas da cidade, pois sua forma e sua cor eram parecidas com os bondes que circulavam pela cidade à época. Tal apelido foi incorporado pela empresa, pois achou que este nome seria muito mais agradável do que a palavra teleférico.

1913

1914-1918

1914-1918

Primeira Guerra Mundial e Industrialização

Durante a Primeira Guerra Mundial, o Rio de Janeiro era a cidade mais industrializada do país. O grande desenvolvimento da indústria atraiu a população operária para o subúrbio, apesar da falta de investimento público nessa região.

Pequenas empresas ainda se mantinham na zona mais central da cidade, enquanto as de médio porte se fixavam em São Cristóvão. Empresas de grande porte se estabeleceram em Maria da Graça e no Jacarezinho.

As freguesias de Irajá, Inhaúma e Campo Grande registraram o maior crescimento populacional da cidade, impulsionadas pelas novas unidades militares em Marechal Hermes e Campo Grande.

1914-1918

1918

1918

Gripe Espanhola – Os primeiros casos da gripe com alta taxa de letalidade foram registrados em 1918, após a Primeira Guerra Mundial, entre militares e civis. Segunda dados da FIOCRUZ, 65% da população adoeceu e no Rio de Janeiro foram registrados mais de 14 mil óbitos.

1918

1919

1919

Prefeito Paulo de Frontin

Engº. André Gustavo Paulo de Frontin (Conde de Frontin) durante sua curta administração, de apenas seis meses, o prefeito alargou e pavimentou a Avenida Atlântica, construiu no ainda desabitado Leblon a atual Avenida Delfim Moreira e canalizou o rio Comprido. Construiu aquela que hoje tem o nome de Avenida Paulo de Frontin e também o cais da Urca, bairro que estava sendo criado sobre um aterro, por um empreendimento privado.

Paulo de Frontin ficou famoso por aceitar o desafio de Rui Barbosa, em 1888, para que em apenas seis dias resolvesse o crônico problema da falta d’água na cidade. Ele cumpriu o prazo, canalizando o rio Tinguá.

1919

1920

1920

visita do rei Alberto I da Bélgica (1875 – 1934) e sua esposa Elizabeth ao Brasil, entre 19 de setembro e 15 de outubro de 1920, foi a primeira realizada por uma monarca europeu à América do Sul.

1920

1921

1921

Os restos mortais de D. Pedro II, assim como os de sua esposa, D. Teresa Cristina, foram trazidos ao Brasil em 1921 a tempo do centenário da independência brasileira em 1922 e depositados com cerimônia condizentes aos de Chefe de Estado na Catedral São Pedro de Alcântara em Petrópolis. No dia foi decretado feriado nacional e milhares de pessoas participaram da cerimônia principal no Rio de Janeiro.

1921

1921

1921

Em 14 de novembro de 1921 morre a Princesa Isabel no Castelo D’Eu na Normandia na França aos 75 anos de idade inicialmente enterrada na tumba da Casa d’Orleães em Dreux, França.

O Conde D’Eu, faleceu no ano seguinte em 28 de agosto de 1922 de causas naturais no navio Massilia durante a viagem de vinda ao Brasil para as celebrações do centenário da independência, sendo enterrado junto da esposa.

Os restos do casal foram repatriados para o Brasil em 1953 e reenterrados em 1971 na Catedral de São Pedro de Alcântara (foto) em Petrópolis ao lado de D. Pedro II e D. Teresa Cristina.

1921

1922

1922

Exposição Internacional do Centenário da Independência foi uma exposição realizada no Rio de Janeiro entre 7 de setembro de 1922 e 23 de março de 1923.É a maior exposição internacional realizada até hoje em terras brasileiras.

1922

1922

1922

Os 18 do Forte

Em 5 de julho de 1922, eclodiu no Forte de Copacabana a primeira revolta do que ficou conhecido como Movimento Tenentista, que lutava para pôr fim ao domínio político das oligarquias cafeeiras de São Paulo e Minas Gerais. Com o fracasso do levante (apenas a Escola Militar aderiu), o forte ficou isolado e foi bombardeado pela Fortaleza de Santa Cruz, do outro lado da baía. No dia 6, com a derrota iminente, dezessete soldados e um civil partiram em marcha pela Avenida Atlântica, até serem derrotados pelas forças legalistas perto da atual Rua Siqueira Campos, nome de um dos líderes do movimento

1922

1925

1925

Einstein no Brasil

Einstein esteve no Brasil em maio de 1925, mas esta visita é apenas ligeiramente mencionada nas mais conhecidas biografias. A foto foi tirada em sua visita ao Museu Nacional.

1925

1926

1926

Fundada a Primeira Escola de Samba – A Deixa Falar , e a segunda escola a seguir o exemplo foi a Mangueira, em 1928. Mais tarde, o grupo Deixa Falar se desfez e se reorganizou sob o nome de Estácio de Sá.

1926

1930

1930-1945

Era Vargas

Durante a Era Vargas, desenvolveram-se os novos bairros da zona sul, com a população mais rica fixando-se à beira-mar. A classe média manteve a ocupação do restante da zona sul e da zona norte, enquanto a população pobre se deslocava para o subúrbio e as novas cidades da Baixada Fluminense.

Em 1930, estima-se que houvesse no Rio 1,4 milhão de habitantes.

As novas indústrias foram afastadas da zona sul. Grandes tecelagens lotearam seus terrenos, dando origem a áreas que foram ocupadas, então, pela classe média. É o caso do “Jardim Laranjeiras”, nas terras da Tecelagem Aliança (atual Rua General Glicério), em 1937, e do “Jardim Corcovado”, no Jardim Botânico, na antiga Fábrica Corcovado.

No Centro, edifícios monumentais ocuparam a Esplanada do Castelo, tais como o Palácio Gustavo Capanema, marco da arquitetura modernista, inaugurado em 1945.

A construção da Avenida Presidente Vargas demoliu parte do patrimônio arquitetônico do século XVIII e causou o deslocamento, mais uma vez, da população mais pobre moradora da região.

Nessa época, foram edificados o Palácio Duque de Caxias, sede do Exército, e a nova Estação de Trens Central do Brasil.

1930

1931

1931

Inaugurado em 12 de outubro de 1931 a estátua do Cristo Redentor no Morro do Corcovado, representa o Cristo de braços abertos, a figura tem 30 metros de altura e uma capela em sua base. A obra ficou a cargo do engenheiro brasileiro Heitor da Silva Costa, que na execução do trabalho teve ajuda do artista brasileiro Carlos Oswald e do francês Paul Landowski, além do engenheiro francês Albert Caquot. Feito em concreto armado e revestido com pedra-sabão, o Cristo Redentor tornou-se símbolo da cidade.

Foi declarado Patrimônio Histórico, em 1937, e Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, em 2012. 

Foi eleito uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno.

1931

1936

1936

Em 30 de novembro de 1936 é inaugurado o Aeroporto Santos Dumont (SDU) sobre um aterro à beira da Baía de Guanabara o Santos Dumont foi o primeiro aeroporto exclusivamente civil a ser inaugurado no Brasil.

1936

1944

1941 – 1944

Em 7 de setembro de 1944 é inaugurada a Av. Presidente Vargas. Projetada por Getúlio Vargas no final dos anos 1930, durante a ditadura do Estado Novo, a avenida ficou pronta três anos após o início das obras – tempo recorde para época.

1944

1945

1945

Em 18 de março de 1945, a cidade do Rio de Janeiro ganhou um novo zoológico, inaugurado no Parque da Quinta da Boa Vista, no histórico bairro de São Cristóvão. Uma das imagens mais marcantes é o imponente portão construído em sua entrada, que pode ser visto na paisagem de algumas telas pintadas durante o período imperial. O portão foi oferecido como presente de casamento a D. Pedro I e à futura imperatriz Leopoldina, por um nobre inglês, o Duque de Northumberland.

1945

1946

1946

Inauguração da Avenida Brasil sobre aterro da orla da Baía da Guanabara, com o objetivo de deslocar o fluxo de veículos provenientes de São Paulo e de Petrópolis (Rio-Petrópolis).

1946

1950

1950

Copa do Mundo FIFA – A final da Copa do Mundo de 1950 foi realizada no Rio de Janeiro tendo como finalistas as seleções do Brasil e Uruguai. Neste ano foi construído o Estádio do Maracanã, projetado e inaugurado especialmente para o Mundial daquele ano.

1950

1950

1952

Em 1 de fevereiro de 1952 é inaugurado o Aeroporto Internacional Tom Jobim, anteriormente chamado Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, também conhecido como Aeroporto do Galeão (GIG). É o segundo maior aeroporto do Brasil em movimento internacional.

1950

1955

1955

Congresso Eucarístico Internacional – Um grande Congresso Eucarístico Internacional foi realizado no Rio de Janeiro, na aterrada próxima ao aeroporto Santos Dumont, área esta que após ter mais áreas acrescentadas viria a ser o Aterro ou Parque do Flamengo.

1955

1960

1960

Inauguração de Brasília – o Rio de Janeiro deixa de ser a Capital Federal e passa a se chamar Estado da Guanabara.

1960

1960

1960

Mercado São Sebastião é inaugurado.

1960

1962

1962

Pavilhão de São Cristóvão foi  inaugurado em 1962, e construído no final dos anos 50. Concebido para abrigar a Exposição Internacional de Indústria e Comércio durante o governo Juscelino Kubitschek. A obra foi um empreendimento do empresário Joaquim Rolla.

1962

1965

1965

Em 26 de abril de 1965 é inaugurada no Rio de Janeiro a Rede Globo de Televisão, no bairro do Jardim Botânico.

1965

1968

1968

Visita da Rainha Elizabeth II da Inglaterra ao Brasil – ela ficou no Rio de Janeiro de 8 a 11 de novembro de 1968.

Inauguração da construção da Ponte Rio-Niterói.

1968

1968

1968

Passeata dos Cem Mil e o Ato Institucional  nº5  no dia 13 de dezembro cerceando as liberdades de manifestação, expressão e organização da sociedade brasileira por cerca de 10 anos.

1968

1974

1974

Em 4 de março é inaugurada a Ponte Rio-Niteróioficialmente Ponte Presidente Costa e Silva, esta ponte atravessa a Baía de Guanabara, e conecta os municípios do Rio de Janeiro e Niterói.

1974

1979

1979

Em 18 de julho de 1974 é inaugurada a Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro, também conhecida como Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro substituindo a Igreja Nossa Senhora do Carmo. Seu estilo é Moderno, obra do arquiteto Edgar de Oliveira da Fonseca.

1979

1979

1979

Inauguração do Metrô

Em março de 1979, foi inaugurada a primeira linha de metrô da cidade, com cinco estações: Glória, Cinelândia, Praça Onze, Presidente Vargas e Central. (foto: Geisel e Figueiredo)

Em 1981, começou a circular a linha 2, com as estações de São Cristóvão e Maracanã. Na linha 1, eram doze estações.

Em 1998, os trens do Metrô chegaram a Copacabana, já em uma concessão por vinte anos à iniciativa privada.

Como parte do programa de adequação do Rio aos Jogos Olímpicos, iniciaram-se em 2010 as obras de expansão até a Barra da Tijuca. Em meados de 2016, já existiam 36 estações, divididas em duas linhas integradas com o sistema de ônibus.

1979

1980

1980

Visita do Papa João Paulo II ao Brasil – Papa João Paulo II chegou ao Brasil no dia 30 de junho de 1980. Durante 12 dias, percorreu aproximadamente 14 mil quilômetros. Em 1º de julho de 1980, João Paulo II celebrou uma missa no Aterro do Flamengo.

1980

1984

1984

É inaugurada por Brizola a Avenida Marquês de Sapucaí, também conhecida como Sambódromo do Rio de Janeiro e oficialmente denominado como Passarela Professor Darcy Ribeiro.

1984

1984

1984

No dia 10 de abril de 1984 em um cidade de seis milhões de habitantes, reuniram-se na Candelária um milhão de pessoas para um ato público propriamente político. Ficou conhecido como o Comício das Diretas Já.

1984

1985

1985

Rock in Rio -Esta foi a primeira edição do evento de um dos maiores festivais de Rock’n Roll do mundo, que ocorreu entre os dias 11 e 20 de janeiro de 1985 na antiga Cidade do Rock, localizada em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O Festival durou 10 dias, com um total de 1 milhão e 380 mil espectadores.

1985

1992

1992

Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNUCED) Rio 92 – Encerrada a Rio 92, a Conferência Mundial de Meio Ambiente patrocinada pela Organização das Nações Unidas, em junho de 1992.

1992

2007

2007

XV Jogos Pan-Americanos  foram um evento multiesportivo realizado em julho na cidade do Rio de Janeiro, no Brasil. Durante os dezessete dias de competições, 5633 atletas de 42 países competiram em 332 eventos de 47 modalidades.

2007

2012

2012

Rio +20 | Rio Mais 20 – O Rio foi sede da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável realizada em 2012 recebendo mais de 100 Chefes de Estado e participantes do mundo todo, tanto de organizações governamentais como não governamentais.

2012

2013

2013

XXVIII Jornada Mundial da Juventude (ou apenas JMJ Rio 2013) aconteceu de 23 a 28 de julho de 2013 . Pela primeira vez, esse evento da Igreja Católica ocorreu em um país cuja língua portuguesa é majoritária, e pela segunda vez em um país da América do Sul.

2013

2014

2014

Copa do Mundo FIFA de 2014 ou Campeonato do Mundo da FIFA 2014  foi a vigésima edição deste evento esportivo, que ocorreu no Brasil, anfitrião da competição pela segunda vez.

2014

2016

2016

2016 – Em outubro de 2016, o zoológico do Rio passou a ser administrado pelo Grupo Cataratas, sendo reinaugurado como BioParque do Rio em 22 de março de 2021.

2016

2016

2016

Jogos Olímpicos de 2016 conhecidos oficialmente como os Jogos da XXXI Olimpíada, mais comumente Rio 2016, foi um evento multiesportivo realizado no segundo semestre de 2016, na cidade do Rio de Janeiro.

2016

2016

2016

Em 31 de outubro de 2016 é inaugurado o Aquário Marinho do Rio de Janeiro ou AquaRio, aquário público situado no bairro da Gamboa, na Zona Central da cidade do Rio de Janeiro.

2016