Categoria: carpediem

Bibliografia Sobre o Rio de Janeiro

Quero deixar aqui uma relação de livros para aqueles que como eu, amam História e em especial a história do Rio de Janeiro.

Obras Gerais

BETHELL, Leslie. História da América Latina colonial. São Paulo: EDUSP; Brasília: Fundação Alexandre Gusmão, 1997.

CALÓGERAS, J. Pandiá. Formação Histórica do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1945.

FAUSTO, Bóris. História do Brasil. São Paulo: EDUSP,1997.

HOLANDA, Sérgio Buarque de (org.). A época colonial. Administração, economiasociedade. História geral da civilização brasileira, v.2, tomo 1. São Paulo: Difel, 1960.

______ . A época colonial. Do descobrimento à expansão territorial. História geral da civilização brasileira, v.1, tomo1. São Paulo: Difel, 1960.

LINHARES, Maria Yeda (org.). História Geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996.

MATTOSO, José (dir.). História de Portugal, v. 3 e 4. Lisboa: Estampa, 1993.

SERRÃO, Joel e MARQUES, A .H.OLIVEIRA. Nova história da expansão portuguesa. Lisboa: Estampa, 1986. 11 v.

SLEMIAN, Andréa et alii. Cronologia de História do Brasil colonial (1500 – 1831). São Paulo: FFLCH/USP, 1994.

SODRÉ, Nelson Werneck. O que se deve ler para conhecer o Brasil. Rio de Janeiro: CBPE/INEP – MEC, 1960.

WEHLING, Arno e WEHLING, Maria José C. de. Formação do Brasil colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.

História do Rio de Janeiro

ABREU, Maurício Almeida. A evolução urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IPLANRIO/Zahar, 1987.

ALMEIDA, Antônio Figueira de. Historia de Niteroy. Niterói. Diário Oficial, 1935.

ALMEIDA, Dayl do Carmo Guimarães de. Escorço de História Política Fluminense. Revista do Instituto Niteroiense de Desenvolvimento Cultural. Niterói, nº 4, 1972.

BARROS, Jaime de. O Estado Fluminense. Rio de Janeiro: Gráfica Sauer, 1972.

BATALHA, Claudio H. M.; SILVA, Fernando Teixeira da; FORTES, A. (Orgs.). Culturas de classe: Identidade e diversidade na formação do operariado. Campinas, Editora da UNICAMP, 2004.

BENCHIMOL, Jaime L. Pereira Passos: um Haussmann tropical. A renovação urbana da cidade do Rio de Janeiro no início do séc.XX.  Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Esportes, 1992. 

Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Esportes, 1992. (Coleção Bi¬blioteca Carioca, 11).

CARLOS, Ana Fani Alessandri. O espaço urbano: novos escritos sobre a cidade. Ed.Contexto, SP, 2004.

_____. Espaço-tempo na metrópole. A fragmentação da vida cotidiana. Ed Contexto, SP, 2001.

 CARNEIRO, Glauco. História das Revoluções Brasileiras. Rio de Janeiro: Edições O Cruzeiro, 1965, 2v.

CARONE, Edgard. A República Nova (1930 – 1937). 2 ed. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1976.

_____. A República Velha: Evolução Política. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1974.

_____. O Estado Novo (1937 – 1945). São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1977.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo, Companhia das Letras, 1987.

CHALHOUB, Sidnei. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro da Belle Époque. Campinas, Ed. Unicamp, 2001.

CUNHA, Murilo Alves da. O Novo Rio de Janeiro: geografia e realidade sócio-econômica. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro, 1930-1983. Rio de Janeiro: CPDOC, 1984.

DREIFUSS, René Armand. 1964: A conquista do Estado; acção política, poder e golpe de classes. Petrópolis: Editora Vozes, 1981.

DUQUE, Paulo. Fusão dos estados da Guanabara e Rio de Janeiro. Rio de Ja¬neiro, Departamento de Imprensa Nacional, 1967.

ESCOBAR, Ildefonso. Síntese histórica da formação dos Estados, Distrito Federal e Territórios da República dos Estados Unidos do Brasil e divisas inter-estaduais. Rio de Janeiro: IBGE, Departamento de Documentação e Biblioteca, 1995.

FERREIRA, Marieta de Moraes (org.). Crônica política do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, FGV, 1998. Política e poder no estado do Rio de Janeiro na República Velha. Revis¬ta do Rio de Janeiro (1): 115, dez. 1985.

FRIDMAN, Fania. Paisagem estrangeira: memórias de um bairro judeu no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2007.

GOMES, Angela de Castro. A Invenção do Trabalhismo, 3ed, RJ: Editora FGV, 2005.

GOUVÊA, Maria de Fátima Silva. O império das províncias: Rio de Janeiro, 1822-1889. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

GURGEL, Heitor & AMARAL, Edelweiss Campos do. Paraty, caminho do ouro (subsídios para a história do estado do Rio). Rio de Janeiro: Livraria São José, 1973.

KNAUSS, Paulo (organização). Sorriso da Cidade: Imagens urbanas e história política de Niterói. Niterói: Fundação de Arte de Niterói, 2003.

MAGALHÃES JUNIOR, Raymundo. Artur Azevedo e Sua época. 2. ed., São Paulo: Livraria Martins Editora, 1955.

MARQUESE, Rafael & TOMICH, Dale. O Vale do Paraíba escravista e a formação do mercado mundial do café no século XIX. In: O Brasil Imperial, volume II: 1831-1870/organização Keila Grinberg e Ricardo Salles. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

LACOMBE, Lourenço Luiz. Os chefes do Executivo fluminense. Petrópolis: Ministério de Educação e Cultura; Departamento de Assuntos Culturais; Museu Imperial, 1973.

LAMARÃO, Sérgio.  Dos trapiches ao porto, Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, 1991.

LEAL, Vítor Nunes. Coronelismo, Enxada e Voto. 2 ed. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1975.

LOBO, Eulália Maria Lahmeyer, História do Rio de Janeiro: do capital comercial ao capital industrial e financeiro. Eulalia Maria Lahmeyr Lobo Rio de Janeiro: IBMEC, 1978. 2 volumes.

LOPES, Antônio Herculano. (Org.). Entre Europa e África: A invenção do carioca. Rio de Janeiro, Topbooks/Casa de Rui Barbosa, 2000.

MARQUES, Eduardo César. Da higiene à construção da cidade: O Estado e o saneamento no Rio de Janeiro, 1995.

MATTOS, Ilmar Rohloff de. O tempo Saquarema: a formação do Estado Imperial. São Paulo: Hucitec, 1990. MOREIRA, Gustavo Alves Cardoso. Uma família no Império do Brasil: os Cardoso de Itaguaí (um estudo sobre economia e poder). Niterói: UFF, 2005 (dissertação de mestrado).

MATTOS, Marcelo Badaró. Contravenções e contraventores no Rio de Janeiro da virada do século. 1998.

MOTA SOBRINHO, Alves da. A Civilização do Café. São Paulo: Editora Brasiliense, s.d.

MOTTA, Marly Silva da. A fusão da Guanabara com o Estado do Rio: desafios e desencantos. In: FREIRE, Américo; SARMENTO, Carlos Eduardo Sarmento; MOTTA, Marly Silva da (org.). Um Estado em questão: os 25 anos do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getúlio Vargas, 2001, p. 19-56.

NEEDELL, Jeffrey D. Belle époque tropical: Sociedade  e cultura de elite no Rio de Janeiro na virada do século. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

PEREIRA, Leonardo A. de Miranda. As barricadas da saúde: vacina e protesto popular no Rio de Janeiro da primeira República. São Paulo, Editora Fundação Perseu Abramo, 2002, PP. 9-64.

PIÑEIRO, Théo Lobarinhas. As classes sociais na construção do Império do Brasil. In: Estado e historiografia no Brasil/org. Sonia Regina de Mendonça. Niterói: UFF, 2006.

RIO DE JANEIRO. (Estado). Governo Faria Lima. O desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro: realizações, resultados e perspectivas. Rio de Janeiro: Secretaria de Planejamento, 1978.

ROCHA, Oswaldo P. A era das demolições: Cidade do Rio de Janeiro ( 1870-1920). Rio de Janeiro: Biblioteca Carioca, 1995.

RODRIGUES, Antonio Edmilson Martins; FALCON, Francisco José Calazans & NEVES, Margarida de Souza. A Guarda Nacional no Rio de Janeiro- 1831-1918. Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica, 1981.

SALLES, Ricardo. E o Vale era o escravo. Vassouras, século XIX. Senhores e escravos no coração do Império. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

SISON, Raquel. Patrimônio histórico, uma experiência no Rio de Janeiro: O inventário de bens imóveis de interesse histórico e artístico. Objetivos, métodos e resultados – Rio de Janeiro: Lidada, 1982.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República.  São Paulo: Brasiliense, 1983.

SEVCENKO, Nicolau. A Revolta da Vacina – mentes insanas em corpos rebeldes. São Paulo. Brasiliense.1984.

SILVA, Eduardo. As Queixas do Povo. Rio de Janeiro, Ed. Paz e Terra 1988

SILVA, Sérgio. Expansão Cafeeira e Origens da Indústria no Brasil. São Paulo: Editora Alfa-Omega, 1976.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História Geral do Brasil. 1853.

VELHO, Gilberto. Estilo de vida urbano e modernidade. Estudos Históricos, 8(16):227-34, 1995.

VENEUS, Marcos Guedes -Enferrujando o sonho: partidos e eleições no Rio de Janeiro, 1889-1895. Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, 30(1):45-72, 1987.

WEHLING, Arno, WEHLING, Maria José C. de M. Formação do Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994. RIO de Janeiro: uma cidade na história / Coordenadora Marieta de Moraes Ferreira. Rio de 

Viajantes e Cronistas

ANTONIL, André João. 1711. Cultura e opulência do Brasil por suas drogas e minas. São Paulo: Melhoramentos, 1970.

BRANDÃO, Ambrósio Fernandes. 1618. Diálogo das grandezas do Brasil. São Paulo: Melhoramentos, 1977.

CARDIM, Fernão. 1585. Tratados da terra e gente do Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1980.

D’ ABBEVILLE, Claude. 1614. História da missão dos padres Capuchinhos na ilha do Maranhão e terras circunvizinhas, Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1975.

DEBRET, Jean Baptiste. 1834 – 1839. Viagem pitoresca e histórica ao Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, 1980.

GANDAVO, Pero de Magalhães. 1570, Tratado da terra do Brasil; 1576, História da província de Santa Cruz, Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1980.

LERY, Jean de. 1578. Viagem à terra do Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1980.

RUGENDAS, Johann Moritz. 1835. Viagem pitoresca através do Brasil. São Paulo: Círculo do Livro, s/d.

SAINT- HILAIRE, Auguste de. Viagem à província de São Paulo. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1976. (início do século XIX).

_______ .Viagem pelas províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1978. (início do século XIX).

_______ 1822. Segunda viagem do Rio de Janeiro a Minas Gerais e a São Paulo. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP.

STADEN, Hans. 1557. Duas viagens ao Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia; 1974.

THEVET, André. 1555. As singularidades da França Antártica. Belo Horizonte: Itatiaia, 1978.

VICENTE DO SALVADOR, Frei. 1627. História do Brasil: 1500 – 1627. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1974.

VILHENA, Luís dos Santos. A Bahia do século XVIII, [tít. org.; recompilado de Notícias soteropolitanas e brasílicas – 1ª edição – 1801. Salvador: Itapuã, 1969, 3v.

Cartografia e Iconografia

ALBUQUERQUE, Manuel Maurício de et alii. Atlas histórico escolar. Rio de Janeiro: MEC/ Fename,1983.

ARTE NO BRASIL, v. I. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

ATLAS HISTÓRICO, Brasil 500 anos. Isto é. São Paulo: Editora Grupo de Comunicação Três, 1998.

ATLAS HISTÓRICO, Enciclopédia Mirador. Barcelona: Marin, 1995.

CAMPOS, Flávio de e DOLHNIKOFF, Miriam. Atlas de História do Brasil. São Paulo: Scipione, 1994.

GRANDE HISTÓRIA UNIVERSAL, A Expansão Marítima. Rio de Janeiro: Bloch, 1973.

HERKENHOFF, Paulo. Biblioteca Nacional: A história de uma coleção. Rio de Janeiro: Salamandra,1996.

HOLANDA, Sérgio Buarque de (org). Mapas históricos brasileiros. São Paulo: Abril Cultural. Coleção Grandes personagens da nossa História.

MAPA, Imagens da formação territorial brasileira. Rio de Janeiro: Fundação Emílio Odebrecht, 1993.

MUSEU HISTÓRICO NACIONAL. Catálogo da coleção iconográfica do Arquivo Histórico. Brasília: Senado Federal, 1997.

PEREIRA, Paulo Roberto (org.), Catálogo da exposição comemorativa do IV Centenário de falecimento do padre José de Anchieta, S. J.. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 1997.

PORTUGAL ENTRE GENTE REMOTA, Lisboa: Bertrand, 1965.

OS MUSEUS CASTRO MAYA, São Paulo: Banco Safra, 1996.

SAGA, A grande História do Brasil, Colônia, v. I (1500- 1640) e v. 2 (1640 – 1808). São Paulo: Abril Cultural, 1981.

TELLES, Augusto Carlos da Silva (org.). Atlas dos monumentos históricos e artísticos do Brasil. Rio de Janeiro: MEC/DAC/ Fename, 1975.

TIPOS E ASPECTOS DO BRASIL, Rio de Janeiro: IBGE, 1975.

Artigos e Monografias

ABREU, Capistrano de. 1907. Capítulos de História Colonial (1500 – 1800 ). Rio de Janeiro: Livraria Briguiet,1954.

_______ 1899. Caminhos antigos e povoamento do Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.

ALGRANTI, Leila Mezan. O feitor ausente: estudo sobre a escravidão urbana no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Vozes, 1988.

ANDRADE, M. C. “A pecuária e a produção de alimentos no período colonial”. In: SZMRECSÁNYI, T. História econômica do período colonial. São Paulo: Hucitec. FAPESP/ ABPHE, 1996.

ARAÚJO, Emanuel. O teatro dos vícios – transgressão e transigência na sociedade urbana colonial. Rio de Janeiro: José Olympio, 1993.

ARRUDA, José Jobson de A .O Brasil no comércio colonial. São Paulo: Ática, 1980.

AUGRAS, Monique. “Imaginária França Antártica”. In: Estudos históricos (viagem e narrativa ). Rio de Janeiro: FGV, 1991.

ÁVILA, Affonso. “Festa barroca: ideologia e estrutura”. In: PIZARRO, Ana. América Latinapalavra, literatura e cultura. Campinas: Unicamp, 1994.

BARRETO, Luís Filipe. “O nascimento da imagem do Brasil e do índio”, Descobrimentos e renascimentos. Formas de ser e pensar nos séculos XV e XVI, Lisboa: Imprensa Nacional/ Casa da Moeda, 1983.

_______ . Os descobrimentos e a ordem do saberUma análise sociocultural. Lisboa: Gradiva, 1989.

BOSCHI, Caio C. Os leigos e o poder – irmandades leigas e política colonizadora em Minas Gerais. São Paulo: Ática, 1986.

______ . O barroco mineiro: artes e trabalho. São Paulo: Brasiliense,1988. (Col. Tudo é História).

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

BOXER, C.R. A idade de ouro do Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional,1963.

CASTRO, Hebe Maria de. Ao sul da História – lavradores pobres na crise do trabalho escravo. São Paulo: Brasiliense, 1987.

CUNHA, Manuela Carneiro da (org). História dos índios no Brasil. FAPESP/ SMC. Companhia das Letras: São Paulo, 1992.

_______ . ” Imagens de índios no Brasil: o século XVI”. In: PIZARRO, Ana(org.) América Latina: palavra, literatura e cultura, v.1: A situação colonial, Campinas: Unicamp, 1993.

DIAS, J. S. da Silva. Os descobrimentos e a problemática cultural do século XVI. Lisboa: Presença, 1982.

FALCON, Francisco C. A época pombalina: política econômica e monarquia ilustrada. São Paulo: Ática, 1982.

______ . Mercantilismo e transição. São Paulo: Brasiliense, 1981. (Col. Tudo é História).

FAORO, R. Os donos do poder. Porto Alegre: Globo, 1958.

FERNANDES, Florestan. “Antecedentes indígenas: organização social das tribos tupis.” In: HOLANDA, Sérgio Buarque de (org.). História geral da civilização brasileira – A época colonial. São Paulo: Difel, 1976.

FIGUEIREDO, Luciano R. A .O avesso da memória: cotidiano e trabalho da mulher em Minas Gerais no século XVIII. Brasília: EdUNB; Rio de Janeiro: José Olympio, 1993.

______ . Barrocas famílias – Vida familiar em Minas colonial. São Paulo: Hucitec, 1997.

FLORENTINO, Manolo Garcia. Em costas negras: um estudo sobre o tráfico atlântico de escravos para o porto do Rio de Janeiro (1790 – 1830). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1990.

FRAGOSO, João Luís R. Homens de grossa aventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro (1790 – 1830). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1992.

_______ e FLORENTINO, Manolo G. O arcaísmo como projeto. Rio de Janeiro: Diadorim, 1993.

FRANCO, Maria Silvia C. Homens livres na ordem escravocrata. São Paulo: Ática, 1974.

FREYRE, Gilberto. 1933. Casa grande & senzala. Rio de Janeiro: José Olympio, 1987.

FRIEIRO, Eduardo. Vila Rica, Vila Pobre. In: O diabo na livraria do cônego. Belo Horizonte / São Paulo: Itaiaia / Edusp, 1982

_______ . 1936. Sobrados e mucambos. Rio de Janeiro: Record, 1996.

FURTADO, Celso. 1959. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1970.

FURTADO, Júnia F. Homens de negócio: a interiorização da metrópole e do comércio nas Minas setecentistas. São Paulo: Hucitec, 1999.

_______ . O livro da capa verde: a vida no distrito diamantino no período da real extração. São Paulo: Anna Blume, 1996.

GODINHO, Vitorino Magalhães. O papel de Portugal nos séculos XV – XVI. Que significa descobrir? Os novos mundos e o mundo novo. Lisboa: Grupo de trabalho do Ministério da Educação para as comemorações dos descobrimentos portugueses, 1994.

_______ . “Portugal, as frotas do açúcar e as frotas do ouro(1670 – 1770)”. In: Revista de História, São Paulo: EDUSP, v.7, no. 15, 1953.

GORENDER, Jacob. O escravismo colonial. São Paulo: Ática, 1974.

GOULART, Maurício. Escravidão africana no Brasil: das origens à extinção do tráfico. São Paulo: Alfa – Ômega, 1975.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. 1936. Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976.

_______ . 1957. Caminhos e fronteiras. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

______ .1945. Monções. São Paulo: Brasiliense, 1985.

______ .1959. Visão do Paraíso. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1969.

HOORNAERT, Eduardo et alii. História da Igreja no Brasil – Ensaio de interpretação a partir do povo. Rio de Janeiro: Vozes, 1977

LARA, Sílvia Hunold. “Escravidão no Brasil: um balanço historiográfico”. In: Revista de História. São Paulo: EDUSP, v. 3, nº 1, 1992.

________ . Campos da violência – escravos e senhores na capitania doRio de Janeiro, 1750 – 1808. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

LESTRINGANT, Frank. “Mitológicas: a invenção do Brasil”. In: Revista de História , São Paulo: EDUSP, no. 12, dez. 1991 / jan./fev. de 1992.

LINHARES, M. Y. e SILVA. História da agricultura brasileira – combates e controvérsias. São Paulo: Brasiliense, 1981.

MACHADO, Alcântara. Vida e morte do bandeirante. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1980. (1ª edição – 1929)

MATTOS, Ilmar R. de. A moeda colonial. MATTOS, I. R. de. O Tempo Saquarema, Rio de Janeiro: Access, 1994.

MATTOSO, Kátia Q. Ser escravo no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1982.

MAXWELL, Keneth. A devassa da devassa. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

MELLO, Evaldo Cabral. Rubro veio: o imaginário da restauração pernambucana. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

_______ . O negócio do Brasil. Portugal, os Países Baixos e o Nordeste. 1641 – 1649. Rio de Janeiro: Topbooks, 1998.

_______ . Olinda restaurada. Guerra e acúcar no Nordeste, 1640 – 1654. Rio de Janeiro: Forense Universitária; São Paulo: EDUSP, 1975.

_______ . A fronda dos mazombos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

MONTEIRO, John Manuel. Negros da Terra. Índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

MOTA, Carlos Guilherme (org.). Brasil em perspectiva. São Paulo: Difel, 1969.

MOURA, Clóvis. Rebeliões da senzala – quilombos, insurreições, guerrilhas. São Paulo: Ciências Humanas,1981.

MULLER, Sálvio Alexandre. “A natureza brasileira segundo dois cronistas do período colonial”. In: Revista Brasileira de História, São Paulo: ANPUH/ Marco Zero. v.11, no 21, set.1990/ fev.1991.

MUNTEAL FILHO, Oswaldo. “Todo um mundo a reformar: intelectuais, cultura ilustrada e estabelecimentos científicos em Portugal e no Brasil, 1779 – 1808”. Anais do Museu Histórico Nacional, no 29, 1997.

NOVAES, Adauto (org.). A descoberta do homem e do mundo, São Paulo: Companhia das Letras, Minc/Funarte, 1998.

NOVAIS, Fernando A . (coord.). História da vida privada no Brasil. Cotidiano e vida privada na América portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

________ . Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777 – 1808). São Paulo: Hucitec, 1979.

NOVINSKY, Anita W. A inquisição. São Paulo: Brasiliense, 1982. (Col. Tudo é História ).

PEREIRA, G.P. Castagnoli. E receberá mercê: a mesa de consciência e ordens e o clero secular no Brasil, 1808-1828. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1997.

PRADO, Paulo. 1928. Retrato do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras,1997.

_______ .1925. Paulística. Rio de Janeiro: Ariel, 1934. (1ª edição – 1925).

PRADO Jr., Caio. 1942. Formação do Brasil contemporâneoColônia. São Paulo: Brasiliense, 1945.

_______ . 1945. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1986.

RAMINELLI, Ronald J. Imagens da colonização. A representação do índio de Caminha a Vieira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar; São Paulo: EDUSP/FAPESP, 1996.

REIS, Arthur Cézar Ferreira. “Os tratados de limites”. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de (org.). História geral da civilização brasileira – A época colonial. São Paulo: Difel, 1976.

REIS, João J. e GOMES, Flávio dos Santos (orgs.). Liberdade por um fio. História dos quilombos no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras,1996.

REIS FILHO, Nestor Goulart. Quadro da arquitetura no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 1976.

RODRIGUES, José Honório. História da História do Brasil, 1ª parte – Historiografia colonial. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1979.

RUSSEL-WOOD, A.J. Fidalgos e filantropos. Santa Casa da Misericórdia da Bahia,1550-1775. Brasília: EdUNB, 1981.

SALGADO, Graça ( coord. ). Fiscais e meirinhos. Administração no Brasil colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Brasília: INL, 1985.

SAMARA, Eni de Mesquita. A família brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1983. (Col. Tudo é História).

SANTOS, Beatriz Catão Cruz. O pináculo do temp (l) o: Sermão do padre Antonio Vieira e o Maranhão do século XVII. Brasília: EdUNB, 1998.

SCARANO, Julita. Devoção e escravidão – a irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos no distrito diamantino no século XVIII. São Paulo: Editora Nacional, 1978.

SCHWARTZ, Stuart B. Segredos internos: engenhos e escravos na sociedade colonial, 1550 – 1853. São Paulo: Companhia das Letras,1988.

_______ . Burocracia e sociedade no Brasil colonial. A suprema corte da Bahia e seus juízes: 1609-1751. São Paulo: Perspectiva, 1979.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da. História da família no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

SIMONSEN, Roberto. 1937. História econômica do Brasil (1500-1820). São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1957.

SLENES, Robert. África coberta e descoberta do Brasil. In: Revista de História. São Paulo: EDUSP, nº 12, dez. 1991 / jan./ fev. 1992.

SOUZA, Laura de Mello e. O diabo e a terra de Santa Cruz – feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

______ . Inferno Atlântico. Demonologia e colonização. Séculos XVI-XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

________ . Desclassificados do ouro. A pobreza mineira do século XVIII. Rio de Janeiro: Graal, 1982.

_______ . Opulência e miséria nas Minas Gerais. São Paulo: Brasiliense, 1981. (Col. Tudo é História).

Dicionários

CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. Belo Horizonte: Itatiaia, 1980.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da. Dicionário da História da colonização portuguesa no Brasil. Lisboa: Verbo,1944.

Se quiser também fazer uma contribuição para esta lista, deixe seu comentário com a sua indicação de livro com um breve resumo. Até!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.